Geraldo Medeiros rebate Romero Rodrigues e diz que faltam técnicos na saúde de Campina Grande


O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, rebateu a fala do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, sobre duplicação do número de pessoas contaminadas com covid-19 que o gestor reafirmou estar havendo na Rainha da Borborema. Além disso, disse que faltam técnicos na 
“Isso revela um desconhecimento de quem não é da área de saúde e também por ter uma Secretaria Municipal de Saúde que não tem médicos e profissionais de saúde fazendo a gestão”, afirmou. Medeiros ainda revelou que na quinta-feira (25) participou de reunião com os Ministérios Público Federal e Estadual em que também estiveram presentes representantes da saúde de Campina Grande. “Inclusive foi esclarecido pelo próprio secretário de Saúde e pelo coordenador de Vigilância do município a prerrogativa do banco de dados pertence ao município”, afirmou.
Leia mais:     
De acordo com Medeiros, “a divulgação dos números, feita pelo boletim diário da Secretaria Estadual de Saúde, que é uma mera repassadora dos dados, são fornecidos pelos municípios. Se houver alguma duplicidade ou triplicidade, isso pode ocorrer de pacientes que realizam os testes de covid-19 várias vezes, essa retificação tem que ser feita também diariamente pela Vigilância em saúde do município de Campina Grande. O que ocorre ao longo desses meses é que a Vigilância em saúde do município de Campina Grande não faz essa retificação diariamente, não tem servidores suficientes para suprir essa falha e consequentemente acumula esse número de pacientes que realizam testes duas, três, quatros vezes. Então é culpa única e exclusiva da Vigilância em Saúde do município de Campina Grande e da Secretaria Municipal de Campina Grande essa não retificação dos casos que são duplicados ou triplicados”, finalizou.
CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários

  1. Grosseiro e mau educado. Ninguém o acusou de nada. Talvez inveja do brilhante trabalho feito pela Prefeitura de Campina Grande na área de saúde e no combate à pandemia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário