Mortes por onda de calor extremo na Europa passam de 1 mil

 

A Europa enfrenta há uma semana uma onda de calor extremo que vem causando estragos. As altas temperaturas na última semana, com termômetros em torno de 40ºC, já provocaram pelo menos mil mortes, segundo órgãos de saúde da Espanha e de Portugal. Os países ibéricos, assim como a França, também continuam a combater incêndios florestais que levaram à retirada de milhares de pessoas de suas casas.

A previsão é de que a onda de calor se estenda para além deste final de semana. Segundo meteorologistas, os próximos dias podem registrar novos recordes de temperatura. Veja abaixo a situação em diferentes países.

No sudoeste do país, pelo menos mil bombeiros seguem mobilizados para conter incêndios florestais que já devastaram mais de 10,5 mil hectares deste terça-feira (12) na região de Gironda. Não há registros de vítimas dos incêndios até o momento.

No total, mais de 14 mil pessoas, entre moradores e turistas, foram evacuadas de residências e acampamentos na região. Segundo a RFI, sete centros de alojamento de emergência e uma célula de emergência médico-psicológica foram abertos para apoiar as vítimas.

No sábado (16), o presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou que a primavera foi muito seca e que este ano já contabiliza três vezes mais área de floresta queimada na comparação com 2020.

Ele disse que o país está se beneficiando da "solidariedade europeia" e agradeceu à Grécia pelo envio de aviões que chegaram à França na sexta (15) e outros da Itália que deverão chegar nos próximos dias, de acordo com a emissora alemã Deutsche Welle.

A previsão dos serviços meteorológicos é de que as temperaturas ultrapassem os 40ºC em muitas cidades do interior da França nos próximos dias. Em Paris, isso deve acontecer na segunda e terça-feira. No último alerta meteorológico, 38 dos 96 departamentos do país foram listados em alerta "laranja".

CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários