Professor preso em Fortaleza vai responder por estupro de vulnerável contra alunas de 11 a 14 anos


 O professor preso na manhã desta sexta-feira (11) suspeito de assediar sexualmente pelo menos 10 alunas em uma escola municipal de Cascavel, na Grande Fortaleza, vai responder por estupro de vulnerável contra as 18 vítimas. Segundo a Polícia Civil, todas elas foram acariciadas pelo docente. Uma das vítimas teve as nádegas apalpadas pelo professor.

O delegado Josafat Filho, titular da Delegacia Metropolitana de Cascavel, solicitou à Justiça a prisão preventiva do professor, que foi concedida. Ele se apresentou nesta manhã na unidade policial após uma negociação entre o advogado dele e a polícia, e o mandado de prisão foi cumprido. Antes de se entregar, o professor estava escondido em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Segundo a Polícia Civil, o professor assumiu a vaga como professor concursado há cerca de três meses. Ele vai responder pelos crimes de estupro de vulnerável, importunação sexual, consubstanciado em atos libidinosos contra as 18 vítimas que eram suas alunas.

A polícia também investiga crimes sexuais cometidos pelo professor contra outras oito vítimas, no mesmo modus operandi, em outra escola que ele também ensinava.

Abusos

A denúncia das vítimas, com idades de 11 a 14 anos, foi feita no dia 10 de outubro. Em um dos casos de assédio, a adolescente relata que o professor chegou a "beijar muito próximo ao canto da boca"; outra garota diz que ele "abraçou-a, deslizando a mão até suas nádegas".

As vítimas também relataram, em denúncia, que o professor investigado fazia perguntas de cunho sexual e constrangedor, como: "você é virgem?", "você me ama?", "vamos passar o final de semana comigo na minha casa?", "vamos almoçar comigo?". O docente também mantinha contato com alunas pelas redes sociais.

A Secretaria da Educação de Cascavel afastou o homem das funções. As denúncias de assédio foram repassadas pela escola ao Conselho Tutelar de Cascavel, que acionou a Polícia Civil.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários