Turismo: Pico do Jabre impulsiona atuação de pequenos negócios no interior da Paraíba


 Destaque pela beleza natural de sua paisagem e vegetação, o Pico do Jabre, ponto mais elevado da Paraíba, tem colaborado para impulsionar a atuação de pequenos negócios, assim como a exploração do turismo no interior do estado. É o que mostra o Boletim ‘Rotas de Negócios Sebrae’, produzido pela Usina de Dados da instituição, um ecossistema de criação e divulgação de informações inteligentes e relevantes para os pequenos negócios.

O complexo do Jabre, como também é conhecido, é considerado uma Unidade de Conservação (UC) e fica localizado no município de Maturéia, na região do Sertão, abrangendo ao longo de seu território as cidades de Imaculada, Mãe d’água e Teixeira. Nesta área, segundo dados do Sebrae/PB, o número de pequenos negócios identificados no ano de 2022 somou 1.047 registros.

De acordo com a gerente da agência regional do Sebrae/PB em Patos, Anna Stefania, o fortalecimento dos pequenos negócios na região é consequência do surgimento da própria demanda apresentada pelo público que visita o local. “O complexo do Jabre é uma região magnífica e que conta com um potencial turístico fantástico. É um local de fácil acesso e com estradas propícias para o deslocamento das pessoas e esses fatores contribuem para a exploração do turismo. Um outro aspecto é que a pandemia trouxe um fator positivo para o crescimento do turismo no interior, em decorrência das mudanças de hábitos dos turistas, que estão procurando por regiões mais próximas e por destinos ligados à natureza e ao ecoturismo”, disse.

Ainda conforme os dados, Teixeira é o município que apresenta o maior número de empreendimentos, 587 no total, seguido de Maturéia (244), Imaculada (160) e Mãe D’água (56). O levantamento revela ainda que o porte dos pequenos negócios na região é caracterizado percentualmente 67,30% pela atuação de microempreendedores individuais, 29% microempresas e 3,60% empresas de pequeno porte.

“O turismo no interior tem contribuído muito para a abertura de novos negócios, seja como serviços de hospedagem, alimentação fora do lar como bares e restaurantes ou alguma atividade voltada para o comércio em geral, pois o turista quando chega em um local ele também busca uma farmácia, uma panificadora, um supermercado, assim como outros empreendimentos e tudo isso precisa ser trabalhado, para que possa oferecer um serviço de qualidade” concluiu Anna Stefania.

Geração de emprego – O ambiente favorável à atuação dos pequenos negócios reflete ainda no processo de geração de emprego. O saldo líquido apresentado pela região fechou o ano de 2022 com 81 registros. Foram 108 demissões e 189 admissões.

As cinco atividades econômicas com maior atuação na região são caracterizadas pelo comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios-minimercados, mercearias e armazéns (101); comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (65); comércio varejista de materiais de construção em geral (45); coleta de resíduos sólidos não perigosos (43) e comércio varejista de artigos de armarinho (36).

Exploração do turismo – Os atrativos do ambiente costumam chamar a atenção dos visitantes pela diversidade de atividades que podem ser exploradas como o ecoturismo, ambientalismo, cultura e esporte de aventura a partir de voos de parapente e asa delta. Outra opção para o público é a possibilidade de aproveitar o tempo frio nos meses de julho e agosto, quando a região costuma registrar temperaturas de até 15ºC, além da oportunidade de viver a experiência de hospedagem em casas de temporada, provar da culinária regional e participar de eventos que são realizados ao longo do ano.

Sebrae 50+50 – Em 2022, o Sebrae celebra 50 anos de existência, com atividades em torno do tema “Criar o futuro é fazer história”. Denominado Projeto Sebrae 50+50, a iniciativa enfatiza os três pilares de atuação da instituição: promover a cultura empreendedora, aprimorar a gestão empresarial e desenvolver um ambiente de negócios saudável e inovador para os pequenos negócios no Brasil. Passado, presente e futuro estão em foco, mostrando a evolução desde a fundação em 1972 até os dias de hoje, com um olhar também para os novos desafios que virão para o empreendedorismo no país.

Crédito das imagens: Ranchinho do Jabre

BRUNO LIRA




FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários