Festival do Queijo de Soledade inicia sua primeira edição e expectativa é colocar evento no calendário de turismo da Paraíba

 


O 1º Festival de Queijos de Soledade começou ontem (16) e a programação segue até amanhã (18). A expectativa da gestão municipal é tornar a data marcante dentro do calendário de eventos e do turismo paraibano, tendo em vista que o município de Soledade, no Cariri, é ponto certo de parada de viajantes que passam pela região. Além da exposição de queijos artesanais de vaca e de cabra, ainda há um festival gastronômico com uma variação de 15 tipos de pratos que levam queijos. 

Esse evento conta com a participação de 15 empreendimentos desde restaurantes, lanchonetes e panificadoras, até ambulantes, que desenvolveram um cardápio especial, que varia de espetinho a hambúrguer e cachorro quente com a presença de queijos. O Festival é uma realização da Prefeitura de Soledade com apoio do Governo Federal, do Sebrae e da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur). Entre os objetivos estão potencializar a economia local e gerar emprego e renda.   

“Esse festival tem exatamente esse propósito. Primeiro mostrar o desenvolvimento regional na nossa cidade, principalmente ao homem do campo e gerar oportunidades e também transformar esse dia de hoje como uma data efetiva marcante para ser o destino do turismo anualmente de Soledade. Esse é um dia para ficar marcado e tenho certeza que a partir daqui se inicia um trabalho de incentivo à produção do leite de cabra e, consequentemente, a produção dos seus derivados”, comentou em entrevista ao ClickPB, o prefeito Geraldo Moura Ramos.

Uma das expectativas é incentivar os produtores na produção, principalmente do leite de cabra, pois ainda é pequena, 100 litros por dia, enquanto de vaca, chega a 6 mil litros diários. Além da venda do líquido, ainda é retirado para a fabricação de queijos vendidos no município e região. A ideia, com esse festival, é aumentar essa produção, segundo frisou o prefeito.

“Que os produtores se sintam estimulados e terem a garantia de que vão produzir o leite e vai ter o que fazer com o leite, ou seja, buscar, independente de que o leite seja repassado para o governo do Estado, mas sim que esse leite seja produzido, seja processado, transformado em produto e agregado valor, consequentemente também irá melhorar a receita das suas famílias”, destacou. 

Os queijos já contam com um selo de inspeção municipal, mas o foco é buscar outro selo para que consiga vender para fora do estado paraibano. “Aqui em soledade nós já temos a lei que é o selo de inspeção municipal e o nosso foco agora é pegar o selo arte que vai para que possa vender não só dentro de município, mas que possa vender para todo Brasil até para a exportação”, finalizou.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários