SENAI PB capacita pessoas com deficiência na área de informática

 

Focado na inclusão e buscando integrar no mercado de trabalho pessoas que não tiveram oportunidade, seja por conta das diferenças ou por preconceito, o SENAI da Paraíba através do Programa SENAI de Ações Inclusivas tem buscado acabar com as disparidades, promovendo o acesso de pessoas em situação de vulnerabilidade pessoal e social nos cursos de educação profissional da instituição.

No mês de março desse ano, a instituição começou duas turmas do curso de operador de computador, formadas por 27 alunos com deficiência física, visual, intelectual e auditiva, através de uma parceria com a Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência – FUNAD.

Robson Santos é um dos alunos. Cego, ele é paratleta da modalidade de goalbal, integrante da seleção brasileira. Habilidoso nas quadras, o jovem tem se destacado na turma do curso de operador de computador.

“O que me levou a fazer esse curso foi o desejo de aprimorar o domínio de ferramentas como PowerPoint e principalmente, com as planilhas eletrônicas do Excel. E estou ficando craque por conta da dinâmica e didática da instrutora Adriana Gomes”, comentou o aluno.

A instrutora também ressaltou o potencial do aluno, que tem surpreendido em cada aula. “Robson é um excelente aluno, muito desenrolado. Me impressionei com a desenvoltura dele nas aulas. Nossas aulas são 100% práticas, e no primeiro dia coloquei ele para desmontar um computador, e ele rapidamente conseguiu”, comentou Adriana Gomes, instrutora do curso.

O curso de Operador de Computador na modalidade Qualificação tem 160h. E através da parceria com a FUNAD, o SENAI através do Centro de Inovação e tecnologia Industrial – CITI/CAM está formando duas turmas, uma com 13 alunos no turno manhã e outra com 14, no turno tarde.

As aulas são realizadas com o apoio de interpretes, e contam com uma didática que privilegia atividades práticas.

“Viver essa experiência, nesse curso, foi motivo de orgulho e esperança. Orgulho por poder mediar a protagonização dessas pessoas naquele contexto. E esperança de que mais portas se abrirão e mais espaços serão preenchidos, merecidamente, por cada pessoa que assim deseje, independentemente de ter deficiência ou não. É muito bom vê-los conquistando os espaços a que têm direito”, ressaltou Hosana Gouveia Ramalho, uma das interpretes da turma.

Trabalho há mais de 10 anos nessa área, e nessas turmas acompanhei algo que me chamou muita atenção, o engajamento e facilidade com que os alunos se comunicam, se ajudam e interagem, foi emocionante, disse Hosana.

O curso Operador de Computador busca formar pessoas para manusear o computador, e durante as aulas os alunos estudam um conteúdo básico com noções sobre Windows, Word, Excel, Power Point e Internet, aprendem sobre a estrutura física do computador, e ainda a elaborar slides, confeccionar planilhas, enviar email, fazer pesquisa, digitar e formatar texto.

WSCON


FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários