Cinco instituições portuguesas renovam acordo para receber alunos com notas do Enem


 Um dos maiores vestibulares do país, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além de selecionar estudantes para cursos de graduação em instituições públicas e privadas brasileiras, também pode ser usado para ingressar em universidades portuguesas que mantêm convênio com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Atualmente, ao todo, 51 universidades, institutos politécnicos e escolas superiores aceitam as notas do Enem em seus processos seletivos. Nessa semana, o Inep renovou os acordos de cooperação com cinco instituições do país europeu. Para quem tem interesse em usar a nota do Enem para estudar em Portugal é uma ótima oportunidade para garantir acesso ao ensino de qualidades de universidades renomadas.

As instituições que renovaram com o Inep são: Instituto Politécnico de Beja, Instituto Politécnico de Santarém, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Instituto Politécnico de Leiria e Universidade da Beira Interior. 

Os acordos permitem acesso facilitado de estudantes do Brasil interessados em fazer um curso superior no país europeu. As instituições são quem definem as regras dos processos seletivos. Além disso, o uso da nota do Enem para estudar em Portugal não inclui transferência de recursos e não prevê financiamento estudantil pelo governo brasileiro.

Entre algumas das instituições portuguesas que aceitam nota do Enem estão ainda:

  • Universidade Lusófona do Porto (ULP));
  • Instituto Politécnico do Porto (P.Porto);
  • Instituto Politécnico Portalegre (IPP);
  • Instituto Politécnico do Porto (P.Porto);
  • Instituto Politécnico Portalegre (IPP);
  • Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA);
  • Instituto Politécnico de Coimbra (IPC);
  • Universidade de Aveiro (UA);
  • Instituto Politécnico da Guarda (IPG);
  • Universidade de Lisboa (ULisboa);
  • Universidade do Porto (U.Porto);
  • Universidade da Madeira (UMa);
  • Instituto Politécnico de Viseu (IPV).

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil 




FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários