Bombeiros fazem busca por adolescente que sumiu no mar


Advogados e servidores são alvos da PF por fraude de R$ 13 milhões na Previdência

 

A Polícia Federal, em conjunto com o Núcleo de Inteligência Previdenciária do Ministério da Previdência Social, deflagrou na manhã desta quinta-feira (26) a Operação Natividade.
A ação teve como objetivo desarticular um grupo criminoso composto por advogados que, associados a servidores da previdência social, seriam responsáveis por fraudes na concessão de benefícios previdenciários de salário maternidade rural.

Ainda segundo as investigações, as fraudes eram efetivadas na agência da Previdência Social Catolé, em Campina Grande. Foram expedidos pela Justiça Federal três mandados de busca e apreensão.

A investigação teve origem com a análise dos dados disponíveis nos sistemas que apontaram a desproporção do número de benefícios de salário maternidade rural concedidos na agência do INSS, alvo da ação de hoje, bem como o direcionamento para que a análise dos requerimentos de benefícios previdenciários de interesse do grupo criminoso fossem feitos por um único servidor da Previdência Social, mediante esquema montado para frustrar o fluxo de distribuição automática nos sistemas previdenciários.

O montante de prejuízo estimado foi calculado sobre os valores efetivamente pagos dos 2049 benefícios identificados, que totalizam quase R$ 13 milhões.

Inicialmente os crimes são os de estelionato qualificado e inserção de dados falsos em sistema de informações, cujas penas somadas podem chegar a mais de 18 anos de reclusão e multa. Com os resultados das buscas, outros crimes ou envolvidos podem ser identificados.


VITRINE DO CARIRI


FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários