Bombeiros fazem busca por adolescente que sumiu no mar


Profissionais da saúde e portadores do vírus HTLV discutem linha de cuidado em evento internacional sobre a doença no Brasil

 

A baiana Adijeane Oliveira de Jesus é portadora do vírus HTLV, juntamente com os três irmãos e os pais. Dos seis, somente ela e o irmão apresentaram sintomas graves. Ela está de cadeira de rodas e o irmão morreu com leucemia decorrente do vírus. Atualmente, preside a Associação “HTLVida” e fez um depoimento no primeiro dia do “16º Simpósio Internacional sobre HTLV no Brasil”, que está acontecendo no Espaço Cultural até a esta sexta-feira (27). “A gente só avança se tiver dialogando pelo bem-estar das pessoas”, observou. 

Com o tema “Criando Redes para o Cuidado Integral às Pessoas Vivendo com HTLV”, o evento está sendo realizado pelo Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Ministério da Saúde, Fiocruz, Unesco e as Secretarias de Estado da Saúde da Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte. 

Outro portador do vírus que também fez um depoimento sobre sua experiência vivendo com o vírus, foi o pernambucano, Ricardo Henrique. Ele está com 39 anos e foi diagnosticado no ano passado. “Primeiro, foram os tremores nos pés, em seguida, as câimbras cada vez mais frequentes nas panturrilhas. O homem de passos rápidos estava agora diante de um inimigo desconhecido. Inimigo esse que a cada dia lhe tirava a força das suas pernas, ao ponto de haver tropeços e quedas no meio da rua”, declarou. Ele também está de cadeira de rodas. 

O HTLV é um vírus que pertence à mesma família do HIV, o vírus causador da Aids. Ele atinge os linfócitos T, ou seja, as células de defesa do organismo. Não tem nenhum tratamento para matar o vírus. Só existe tratamento para os sintomas das doenças causadas pelo HTLV. O Simpósio pretende envolver os pesquisadores, professores, portadores e profissionais de saúde a fim de promover a conscientização para a implantação da linha de cuidado. 

A Paraíba está implantando a linha de cuidado para HTLV, com o diagnóstico feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-PB), priorizando as gestantes no pré-natal de alto risco, para a prevenção da transmissão vertical (da mãe para o filho), atendidas na Maternidade Frei Damião. 

Segundo a secretária executiva de estado da Saúde, Renata Nóbrega, o evento ocorre dentro do fortalecimento do SUS da Paraíba. “Estamos sediando o simpósio sobre um tema novo que já estamos implantando a política. Para todos os trabalhadores e pesquisadores isso é extremamente relevante porque o assunto vai chegar mais a todos os serviços de saúde e serão divulgadas notas técnicas e manuais. Esse ano, foi instituída a notificação compulsória para identificar um caso de HTLV, o Lacen-PB está trabalhando para fazer essas análises aqui mesmo no estado. Esse é propósito do simpósio. E como o vírus passa de mãe para filho, temos um grande foco de organização da rede para fortalecer e reduzir óbitos maternos e infantis, uma grande área de entendimento e prioritário dentro da atenção materno-infantil”, pontuou. 
 
Durante todo o dia dessa quarta-feira, foram realizadas diversas palestras, capacitações, mesas de especialistas no assunto de vários estados brasileiros. A médica infectologista, Dra. Paula Magalhães, do Hospital Universitário Osvaldo Cruz (HUOC), de Pernambuco, falou sobre o tema “Cuidado Integral ao Paciente com HTLV”. Segundo ela, não tem como um profissional isolado promover cuidado aos portadores do HTLV. “O cuidado deve envolver uma equipe multiprofissional, pois estes pacientes não precisam somente de médicos. Eles necessitam também de apoio, diante das perdas, para as dificuldades no trabalho, na vida social, com a família, entre outras situações que enfrentarão por conta dos sintomas”, revelou.

Programação
Nesta quinta-feira (26), no segundo dia do evento, o tema abordado é “Acompanhamento da Gestante Infectada pelo HTLV e do Recém-nascido”, com Dra. Clarice Lins (Fiocruz/PE); Dra. Carolina Rosadas; Dra. Tatiane Assone (SP); Dr. Bernardo Galvão (EBMSP-BA); Dra. Sandra Gallego (Universidad Nacional de Córdoba - Argentina); Dra. Edel Barbosa Stancioli (UFMG); Dra. Sheila Nunes (UFBA).

Nesta sexta-feira (27), o tema será “Epidemiologia da Infecção pelo HTLV no Brasil”, com os palestrantes Dr. Jorge Casseb (USP); Dr. Ricardo Ishak; Dra. Ana Rita Coimbra (Fiocruz/MS); Dra. Larissa Bandeira (MS); Dra. Aide Nunes (EBMSP-BA); Dra. Mirna Biglione (Inbirs UBA-Conicet – Argentina); Dra. Angélica Miranda (MS-DF); Dra. Camila Dantas (SES-PE) e Joanna Ramalho (SES-PB).

Como se previne o HTLV?
Substituição do leite materno por fórmula infantil;
Uso de preservativo (masculino ou feminino) em todas as relações sexuais e não compartilhamento de seringas e agulhas; 
Realizar a testagem para HTLV, principalmente no pré-natal. 


SECOM PB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários