CMJP debate Maio Amarelo pela paz no trânsito nesta terça-feira


Entrevista: Caetano Veloso detalha preparativos para o show “Transa”

 


Caetano Veloso volta a fazer o show “Transa”, neste mês de novembro no Rio de Janeiro e em São Paulo. O show foi preparado para o Festival Doce Maravilha, que aconteceu na Marina da Glória, em agosto passado, o mês em que o artista completou 81 anos. A ideia seria só para o festival, mas choveu muito naquela noite: “Sim. Ia ser só uma vez, mas choveu tanto que grande parte da multidão que tinha ido ver teve de voltar pra casa”, disse o artista

Inicialmente, o show estava previsto para começar no palco principal do evento às 20h30, porém, o horário foi alterado e a apresentação foi transferida para um palco menor, por ser mais protegido das fortes chuvas e ventanias que tomaram conta do local. Caetano só foi subir ao palco do Doce Maravilha por volta de 1h da madrugada de segunda-feira (14 de agosto).

Já nos primeiros minutos de sua perfomance, a plateia foi ao delírio com os clássicos como “You Don’t Know Me”, “It’s a Long Day”, “Nine Out Of Ten” e “Mora na Filosofia”. Rapidamente boa parte do público esqueceu dos momentos de impaciência e se entregou ao show. Foi lindo. Eu vi.

A novidade é que, dessa vez, Ângela Rô Rô vai participar de ‘Transa’. “Ela gravou a gaita da faixa “Nostalgia”, que encerra o álbum e que contou com Gal Costa nos vocalises. “Eu a tinha chamado para o show do Doce Maravilha, mas ela tinha show em Belém justo no dia. Gal já tinha nos deixado”, revelou o artista baiano.

É isso, quem estiver indo ao Rio de Janeiro no próximo final de semana não pode perder o show “Transa”, que acontecerá nos dias 11 e 12, no Espaço Arena Jockey.  Em São Paulo, a apresentação será nos dias 25 e 27 deste mês, no Espaço Unimed.   

MaisPB – A ideia ou sacada do show “Transa” aconteceria somente no festival Doce Maravilha, na Marina da Glória, no Rio, em agosto passado. Não ficaria só por ali, muita gente ficou querendo ver o Transa e você vai cantar nos dias 11 e 12 de novembro, também no Rio de Janeiro, no Espaço Arena Jockey.  Vamos começar por aqui?

Caetano Veloso  – Sim. Ia ser só uma vez, mas choveu tanto que grande parte da multidão que tinha ido ver teve de voltar pra casa.

MaisPB  – Aliás, no show Transa no Festival Doce Maravilha, chovia muito no Rio e o show que seria às 20h30 só começou perto de uma hora da manhã, mas você estava inteiro, forte, belo, vestido um casaco vermelho e parecia que era a estreia do show Transa. Como você consegue ser o Caetano de 50 anos atrás numa performance arrebatadora e as canções na ponta da língua?

Caetano Veloso  – Só vesti o casaco vermelho por causa do tempo meio frio e muito chuvoso. Mas gostei. Tinha a ver com a capa do disco. Nem sei como consegui cantar. Quase não fizemos o show. Foi meu filho Moreno que nos convenceu de que, mudando tudo pro o outro palco, ficaria tudo bom. Ficou. Me alegrei de poder fazer porque ali estavam Jards Macalé, Tutty Moreno e Áureo de Souza. E a eterna lembrança de Moacyr Albuquerque, que morreu faz anos.

MaisPB – Nesse show da Arena Jockey terá a presença de Jards Macalé, Áureo de Sousa e Tutty Moreno, a trinca que gravou o disco com você em Londres?

Caetano Veloso – Sim, estarão os três. E, minha maior alegria, a Ângela Rô Rô também estará. Ela gravou a gaita da faixa “Nostalgia”, que encerra o álbum e que contou com Gal Costa nos vocalises. Eu a tinha chamado para o show do Doce Maravilha, mas ela tinha show em Belém justo no dia. Gal já tinha nos deixado.

MaisPB – Em São Paulo, o show Transa será nos dias 25 e 27 de novembro no Espaço Unimed, onde você já se apresentou várias vezes com a turnê Meu Coco. Vai ser bom demais, né?

 Caetano Veloso – Tomara que seja bom como tem sido sempre. Acho fascinante o amor de várias gerações de brasileiros por esse disco.

MaisPB – Pelo visto vamos entrar 2024 com a turnê “Meu Coco” ou o “Transa” poderá chegar a outras cidades como Belo Horizonte, que você gosta tanto, Porto Alegre e o Nordeste escambau…

Caetano Veloso – Suponho que não faremos excursão com o show de Transa. Meu Coco já está maduro. Passo as férias na Bahia. Não sei se haverá Meu Coco em 2024.

MaisPB – Saiu uma notícia que você e sua irmã, Maria Bethânia fariam uma turnê em 2024 e logo veio anuncio de que não, o que já aconteceu no show ao Vivo Tudo de Novo de 1978 e poderá acontecer de novo, em qualquer tempo, né?

Caetano Veloso   – Há sempre o sonho de Bethânia e eu fazermos algo juntos. Se isso puder acontecer, conto a você logo.  

MaisPB – Caetano Veloso é um homem triste?

Caetano Veloso   – Eu disse isso? Bem, eu parecia um menino triste. Pelo menos muito sério para uma criança. Mas tenho a impressão de que fiquei menos triste na adolescência.

MaisPB   – Tem um artista novo paulista chamado Will Santt, (um belo rapaz de cabelo encaracolado) que está recebendo o apoio de Baby do Brasil e lançou o 1º disco  “Meu Caminho”, cuja canção que dá nome ao álbum, é dedicada a você – (mando aqui na entrevista a letra a música para você ouvir). Caso não conheça ainda, poderia falar sobre esses novos talentos…

Caetano Veloso  – Só tive tempo de ouvir Will Santt agora. E só ouvi a canção que ele me dedica. Fiquei tocado. Vou ouvir mais e procurar saber mais.

MaisPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários