MEC divulga nesta terça-feira segunda chamada do Prouni


João Azevêdo detona fala de Queiroga sugerindo mortes por conta das vacinas: “Saindo da boca de um médico, é vergonhoso”

 

O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), aliado do prefeito Cícero Lucena (PP), não poupou críticas ao ex-ministro da Saúde e pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Marcelo Queiroga, após suas declarações que responsabilizam gestores e o PT pela desconfiança na vacinação contra a Covid-19.

João classificou o discurso de Queiroga como “vergonhoso” e sugeriu que o pré-candidato pode estar adotando uma abordagem ideológica para agradar a uma parcela específica da população. Em um tom incisivo, o governador destacou a importância das vacinas e rejeitou a postura contrária à obrigatoriedade da imunização.

“Saindo da boca de um médico um discurso como esse, primeiro, é vergonhoso. Segundo, talvez seja um discurso apenas ideológico para tentar agradar uma determinada camada da população que pensa como ele. Agora, todos os estudos comprovam, no mundo inteiro, que vacina salva, que vacina boa é no braço, então é um equívoco extraordinário. Eu lamento que uma pessoa que se coloca como pré-candidato à prefeitura de João Pessoa seja capaz de fazer uma declaração dessas”, afirmou o governador em entrevista veiculada pela Rádio Arapuan FM.

Por fim, o governador reforçou a importância de seguir as recomendações científicas e promover a vacinação em massa como estratégia essencial para conter a propagação do vírus. A crítica do governador, aliado ao prefeito Cícero Lucena, destaca a discordância dentro do cenário político local em relação às declarações de Queiroga, intensificando o debate sobre a vacinação e a gestão da pandemia na capital paraibana.

Entenda o caso

O ex-ministro da Saúde e pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Marcelo Queiroga, afirmou nessa quarta-feira (24) que os gestores públicos e o Partido dos Trabalhadores (PT) são responsáveis pela desconfiança da população em relação à vacina contra a Covid-19.

Em entrevista à imprensa, Queiroga disse que as vacinas são seguras e eficazes, mas que a obrigatoriedade do imunizante pode gerar desconfiança.

“As vacinas, elas são seguras. Foram avaliadas pelas agências regulatórias, tanto a Anvisa, que é uma agência de boa qualidade, como a FDA e a Agência Europeia de Medicamentos. É claro que existem eventos adversos relacionados à vacina, que não devem ser menosprezados”, disse Queiroga.

“Claro que as vacinas da COVID foram desenvolvidas em um curto espaço de tempo, e muitos governadores e prefeitos quiseram forçar as pessoas a tomar as vacinas, restringindo as liberdades individuais. Isso atrapalha o mundo adequado de uma campanha de vacinação. Nós fomos contrários, e a sequela disso é que muita gente está desconfiando das vacinas”, acrescentou.

Queiroga também disse que o PT é responsável por propagar informações falsas sobre as vacinas. “O PT famigerado quer forçar as pessoas a tomar vacina. Mas o senhor está dizendo que tem a vacina, está matando hoje a vacina que está matando. Hoje existem eventos adversos relacionados à vacina, inclusive a possibilidade de óbito”, afirmou.

O pré-candidato a prefeito disse que, se eleito, não obrigará a vacinação contra a Covid-19. “Eu sou favorável à vacinação, mas sou contrário à obrigatoriedade. As pessoas devem ter o direito de escolher se querem ou não se vacinar”, afirmou.

PB Agora



FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários