Oi, Vivo e TIM são multadas por propaganda enganosa sobre 5G

Música, lançamento de livros, homenagens, debate, feira e exposição marcam Pôr do Sol Literário na FCJA

 



Duas homenagens, lançamento de três livros, exposição, feira, música e debate vão marcar a 95ª edição do Pôr do Sol Literário, nesta quinta-feira (4), a partir das 17h30, na Fundação Casa de José Américo (FCJA), localizada na Avenida Cabo Branco, 3336, na orla da capital paraibana. O evento é promovido pela Confraria Sol das Letras e tem o apoio cultural da FCJA.

Além da Fundação Casa de José Américo, o Pôr do Sol Literário ainda tem apoio da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope); da Academia Paraibana de Letras (APL); da Livraria do Luiz; do Divulga Escritor; e do Grupo São Braz.

Na abertura, logo após a performance do músico Davi Franca, ocorrerá duas homenagens: ao acadêmico Manoel Batista Medeiros, que será saudado por seu filho, Emmanoel Medeiros; e à jornalista Rosa Aguiar, pelo acadêmico Sérgio de Castro Pinto.

Haverá também o lançamento de três livros: ‘Política e Poder em Araruna (1976-2022)’, de Wellington Rafael, com apresentação do presidente da APL, Ramalho Leite; ‘Memórias Indecentes’, de Luís Augusto Paiva, com apresentação do acadêmico Eitel Santiago; e ‘O Paradigma do Direito Ambiental’, de Liliane Targino, apresentado pelo presidente da Academia Paraibana de Direito (APD), Boisbaudran Imperiano.

O evento na FCJA também recebe a Feira da Livraria do Luiz e a exposição da artista plástica Maria das Graças Santiago, além do debate ‘Vida e Obras de Zé Limeira’, com o acadêmico Helder Moura, com declamação do cordelista Merlônio Maia.

O projeto Pôr do Sol Literário foi criado pela Confraria Sol das Letras, em dezembro de 2013 e, ao longo de uma década, já se consolidou como um dos eventos mais longevos da cena literária na Paraíba. O grupo Sol das Letras foi criado para estimular a produção, criação, divulgação e debate sobre a literatura paraibana, nos cenários regional e nacional.

A confraria se propõe a protagonizar, além do Pôr do Sol das Letras, outras iniciativas, como a realização da I Festa Literária do Extremo Oriental (Flor), a premiação das melhores obras do ano, que terá a segunda edição em 2024, e ainda um concurso público, com o objetivo de projetar a literatura paraibana.

SECOM PB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO

Comentários